fbpx

Coronavírus no Maranhão: Prevenção, locais de teste e tudo que você precisa saber

Prezando pela saúde pública, pela divulgação de informações corretas baseadas em evidências científicas e na situação de países em todo o mundo, o deputado estadual Duarte Jr compartilha informações relevantes sobre o coronavírus.

A pedido de Duarte Jr, o médico sanitarista, professor e secretário de Políticas Públicas do Estado do Maranhão, Marcos Pacheco, falou sobre sintomas, formas de prevenção, estatísticas e outros dados que podem nos ajudar a combater a disseminação da Codiv-19, baseados em relatórios e recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e Ministério da Saúde.

Isolamento social

Os números acima comprovam o alto poder de contágio do coronavírus, o que nos leva à necessidade emergencial de seguir à risca as recomendações de isolamento social da OMS e do Ministério da Saúde. O objetivo é diminuir a curva de contaminação do vírus, já que impede sua rápida disseminação, que por sua vez resultaria num colapso do sistema de saúde.

O secretário Marcos Pacheco aprova a medida de isolamento e explica sua necessidade: “O vírus não circula sozinho, apenas passando de uma pessoa para outra ou através de contato com superfícies contaminadas. Logo, se o vírus não circula, a restrição da circulação de pessoas evita um rápido aumento de casos, dando tempo para que o sistema de saúde atenda as pessoas gradativamente, porque se todos adoecerem de uma vez, o sistema não vai dar conta”. 

Pacheco nota que, em países ricos, como Estados Unidos, Espanha e Itália, o sistema de saúde não está conseguindo atender a todas as pessoas devido à falta de respiradores e leitos. “São países com cidades mais desenvolvidas que a nossa e o sistema de saúde deles não está conseguindo atender”, diz Pacheco.

Estudos recentes realizados na China (país onde se deu a origem da pandemia) mostram que, em condições normais, 2 em cada 10 pacientes críticos diagnosticados com Covid-19 morreram. Mas, com os hospitais lotados, essa taxa subiu para 9 em cada 10 pacientes.

Formas de prevenção

O secretário Marcos Pacheco informa que a primeira medida de prevenção é o isolamento social. Ele esclarece que, como nem todo mundo pode se isolar, a segunda medida de prevenção é o distanciamento social. “Quanto menos perto você ficar de outras pessoas, melhor. A distância ideal é de 1,5 metro a 2 metros. Quanto mais distante, melhor. De 1,5 metro para baixo, facilmente você se contamina”, alerta.

Além disso, Pacheco reforça as medidas de higiene recomendas fortemente pela OMS:

– Lave as mãos com água e sabão constantemente;

– Use álcool em gel quando estiver fora de casa;

– Cubra nariz e boca com o braço ao espirrar ou tossir;

– Evite tocar os olhos, nariz e boca;

– Mantenha os ambientes bem ventilados;

– Não compartilhe objetos pessoais.

Onde fazer o teste em São Luís?

Já estão funcionando os centros de testagem na Policlínica Diamante e no Viva Beira-Mar, de segunda a sexta, das 8h às 18h. Nestes locais são realizados os exames laboratoriais e divulgadas orientações sobre as medidas que devem ser tomadas até o resultado dos exames. Além disso, o Governo do Maranhão arrendou o Hospital das Clínicas Integradas – HCI, hospital particular no bairro Angelim, que já está funcionando exclusivamente para atendimento de casos da doença.

Ações do Governo do Maranhão

O secretário Marcos Pacheco informa que o Governo do Estado obedece às medidas de isolamento, das quais fazem parte a suspensão das aulas na rede pública e privada de ensino. “Quanto mais baixa a curva de incidência, mais rápida vai ser a liberação do isolamento”, diz Pacheco.

O governo estadual também reforçou a provisão de leitos com respiradores no Hospital Carlos Macieira, HCI e hospitais regionais por todo o Estado. “Temos mais de 100 leitos com respiradores dedicados exclusivamente para casos de coronavírus”, informa o secretário.

O governo também adotou a distribuição de cestas básicas para a população de baixa renda, como medida de proteção social. Além disso, há reuniões regulares com um grupo de assessoria técnica, com o objetivo de avaliar a situação em cada momento e definir ações emergenciais.

Sintomas

– Febre;

– Tosse;

– Falta de ar, dificuldade para respirar;

– Coriza;

– Dor de garganta.

Como é transmitido

Vale lembrar que o coronavírus já tem transmissão comunitária no Brasil, quando ocorre a contaminação de pessoas que vivem em um mesmo local e não viajaram para o exterior. O período de incubação pode ser de 2 a 14 dias, com o paciente podendo não apresentar sintomas. Sabe-se que a transmissão já vem ocorrendo de pessoa para pessoa, por meio de gotículas respiratórias ou pelo contato com secreções contaminadas.

O contágio pode ocorrer por meio de:

– gotículas de saliva;

– espirro;

– tosse;

– catarro;

– contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos;

– contato pessoal próximo (abraço, toque ou aperto de mão): qualquer pessoa que chegue a cerca de 1 metro de distância de alguém com sintomas pode estar exposta à infecção.

Ainda não há cura

Segundo a Organização Mundial de Saúde, há, neste momento, várias pesquisas em andamento em todo o mundo na tentativa de encontrar possíveis tratamentos, mas AINDA NÃO HÁ nenhum medicamento ou vacina comprovados com capacidade de curar a infecção por coronavírus.

Por isso, é importante continuar se informando pelos sites do Ministério da Saúde (saude.gov.br), Secretaria de Saúde do Maranhão (saude.ma.gov.br) e Organização Mundial da Saúde (who.int), que vêm fornecendo as atualizações mais seguras e confiáveis sobre a pandemia de coronavírus.

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support